Bíblia e Música

O que a Bíblia diz sobre música Leave a comment

Podemos dizer que a “Música” é a arte de combinar os sons e o silêncio. Se pararmos para perceber os sons que estão a nossa volta, concluiremos que a música é parte integrante da nossa vida. Hoje a música se faz presente em todas as mídias, pois ela é uma linguagem de comunicação universal, é utilizada como forma de “sensibilizar” o outro para uma causa de terceiro, porém esta causa vai variar de acordo com a intenção de quem a pretende, seja ela para vender um produto, ajudar o próximo, para fins religiosos, para protestar, intensificar noticiário, etc.

Acredita-se que a música tenha surgido há 50.000 anos, das grandes civilizações do mundo antigo, foram encontrados vestígios da existência de instrumentos musicais em diferentes formas de documentos. Os sumérios que tiveram o auge de sua cultura na bacia mesopotâmia há milhares de anos antes de Cristo, utilizavam em sua liturgia, hinos e cantos salmodiados, influenciando as culturas babilônica, Caldéia, e judaica, que mais tarde se instalaram naquela região.

Já é de conhecimento público que a bíblia ela é a junção de papiros, cujo esses são os documentos escritos mais antigo da história da humanidade, e a música sempre esteve presente desde o princípio. Vamos comprovar para você que a música e a bíblia estão intimamente ligadas:
No livro de Gênesis, o primeiro livro da bíblia, encontramos nos capítulos 6 a 8 o Dilúvio, evento que reduziu a humanidade a apenas 8 pessoas, Noé e sua família. Entretanto, ao marco do fim desse episódio difícil na vida deles vemos a bíblia referir-se a música como expressão de alegria.

Por que fugiste ocultamente, e lograste-me, e não me fizeste saber, para que eu te enviasse com alegria, e com cânticos, e com tamboril e com harpa? Gênesis 31:27

Após Deus salvar Moisés e toda Israel da perseguição dos egípcios, fazendo-os atravessar o mar vermelho e seus inimigos perecerem no mar, temos um momento de celebração, de alegria, vitória, entusiasmo e gratidão; Aqui encontramos referências da música como expressão agradecimento a Deus pelas conquistas e vitórias.

Então cantou Moisés e os filhos de Israel este cântico ao SENHOR, e falaram, dizendo: Cantarei ao SENHOR, porque gloriosamente triunfou; lançou no mar o cavalo e o seu cavaleiro. Êxodo 15:1

Da mesma forma, o mesmo capítulo do livro de Êxodo relata outra comemoração musical pelo mesmo fato, desta vez explicitamente associada à dança.

Então Miriã, a profetisa, a irmã de Arão, tomou o tamboril na sua mão, e todas as mulheres saíram atrás dela com tamboris e com danças. E Miriã lhes respondia: Cantai ao Senhor, porque gloriosamente triunfou; e lançou no mar o cavalo com o seu cavaleiro. Êxodo 15:20,21

Neste ponto, gostaria que você prestasse atenção a um detalhe: Miriã foi chamada de profeta. O que nos leva para o nosso próximo tópico que retrata a música como expressão do Sobrenatural. No livro de Miquéias 6:4 , Deus fala com Miriã justificando o seu título de profeta (tal como era no tempo antes do envio do Espírito Santo). No entanto, não podemos esquecer que o dom e a habilidade musical são várias vezes associados à profecia nas Escrituras. A este respeito, tomo a liberdade de citar passagens fora dos cinco livros de Moisés, para explicar a passagem de Êxodo citada anteriormente. Vamos a elas:

Então chegarás ao outeiro de Deus, onde está a guarnição dos filisteus; e há de ser que, entrando ali na cidade, encontrarás um grupo de profetas que descem do alto, e trazem diante de si saltérios, e tambores, e flautas, e harpas; e eles estarão profetizando. 1 Samuel 10:5
 E Davi, juntamente com os capitães do exército, separou para o ministério os filhos de Asafe, e de Hemã, e de Jedutum, para profetizarem com harpas, com címbalos, e com saltérios; e este foi o número dos homens aptos para a obra do seu ministério. 1 Crônicas 25:1

Calma lá, não estou dizendo que só haverá manifestação quando houver música, a questão é que a música sempre se relacionou com o elemento profético, embora não seja necessária a ele.
O Pentateuco também registra a utilização da música para fins bem específicos, como o de reunir as pessoas. É interessante notar isso, pois aqui saímos pela primeira vez do padrão do uso espontâneo da música para louvar a Deus. A passagem em que a música é utilizada para juntar a congregação é a seguinte:

Falou mais o SENHOR a Moisés, dizendo:
Faze-te duas trombetas de prata; de obra batida as farás, e elas te servirão para a convocação da congregação, e para a partida dos arraiais.
E, quando as tocarem, então toda a congregação se reunirá a ti à porta da tenda da congregação. Mas, quando tocar uma só, então a ti se congregarão os príncipes, os cabeças dos milhares de Israel.
Quando, retinindo, as tocardes, então partirão os arraiais que estão acampados do lado do oriente.
Mas, quando a segunda vez retinindo, as tocardes, então partirão os arraiais que estão acampados do lado do Sul; retinindo, as tocarão para as suas partidas.
Porém, ajuntando a congregação, as tocareis; mas sem retinir. Números 10:1-7

Quando Israel estava no deserto, era Deus quem os provia com o Maná e Água. A partir dessa informação vemos mais uma referência da música como agradecimento por milagres. E dali partiram para Beer; este é o poço do qual o Senhor disse a Moisés:

Ajunta o povo e lhe darei água. Então Israel cantou este cântico: Brota, ó poço! Cantai dele: Números 21:16,17

Em conclusão, o que vemos é a narra de uma relação muito positiva com a música, e que está relacionada com a alegria, com o agradecimento a Deus pelas conquistas, com a expressão do sobrenatural, como meio de utilização prático e também como forma de agradecer a Deus pelos milagres. Fora os livros de Moisés, a música ainda é registrada para diversas outras utilidades na Bíblia, incluindo a terapêutica, conforme vemos no caso em que Davi  tocava harpa para acalmar o rei Saul. A música, portanto, é um elemento extremamente versátil. Por ser tão versátil, muitas vezes é subvertida para o lado negativo. A música, da perspectiva de Deus, há sempre de ser bela, boa e verdadeira, nunca levando a atenção para o músico, mas apenas para Deus.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *